Graduação Capoeira

Sistema oficial de graduação, idealizado desde 1972.

O sistema oficial de graduação, que já existe desde 1972, foi idealizado pelos grandes mestres do Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia. Tem sua fundamentação nas cores da Bandeira Nacional, estabelecida de forma lógica, sendo a primeira cor o verde, depois o amarelo e o azul. A cor branca só entra no nível de mestre. A relevância da importância da fundamentação desta graduação é que como a Capoeira é um esporte genuinamente nacional, nada mais justo e patriótico do que estabelecer as cores nacionais para se graduar.
A idéia da regulamentação da Capoeira surgiu no II Simpósio Sobre Capoeira, realizado em 1969, em Campo dos Afonsos - RJ, com a presença de pessoas de renome e mestres de Capoeira, principalmente dos estados do Rio de Janeiro, da Bahia e de São Paulo.

A princípio, a proposta do Simpósio era definir e unificar a Capoeira sem que a mesma sofresse qualquer tipo de perda relativa às suas tradições.

A partir daí, ficou decidido que a Confederação Brasileira de Pugilismo organizaria o projeto através de sugestões e trabalhos de pessoas envolvidas com a Capoeira.
Finalmente, em 26 de dezembro de 1972, o Regulamento Técnico da Capoeira foi aprovado pelo Conselho Nacional de Desportos.
O texto do Regulamento Técnico foi revisto e atualizado pela Assessoria de Capoeira da Confederação Brasileira de Pugilismo através de inúmeros congressos técnicos, até chegar a atual edição, que considera os seguintes itens: graduação, vestuário e característica dos cordéis de classificação.

Regulamento Técnico oficial da Capoeira elaborado em 26 de dezembro de 1972.

As graduações do Regulamento Técnico da Capoeira de 26 de dezembro de 1972 são as seguintes por estágios:

Nível de aluno

Estágio - Cordão verde (aluno) permanência 1 ano
Estágio - Cordão amarelo (aluno) permanência 1 ano
Estágio - Cordão azul (aluno) permanência 1 ano
Estágio - Cordão verde-amarelo (aluno) permanência 1 ano
Estágio - Cordão verde-azul (aluno) permanência 1 ano
Estágio - Cordão amarelo-azul (aluno Instrutor) permanência 2 ano
Estágio - Cordão verde-amarelo-azul (aluno Formado) permanência de 2 a 3 anos
Cordão branco-verde (Monitor) permanência de 3 a 5 anos
Cordão branco-amarelo (Professor) Titulo postulado pelo trabalho realizado na Capoeira
10º Cordão branco-azul (Contra Mestre) Titulo postulado pelo Mestre responsável do Grupo.
11º Cordão branco (Mestre) Titulo postulado pelo reconhecimento dos Mestres mais antigos da Sociedade Capoeiritica, Obs.: Um atleta praticante de Capoeira para se tornar um verdadeiro mestre, precisa pelo menos 30 anos de pratica do esporte.

Vestuário

O vestuário do capoeirista para intervir em qualquer competição oficial, consiste em: 

a) calça branca, em helanca ou brim ou tecido similar, cuja bainha alcance o tornozelo, atada à cintura pelo cordão indicativo da classe a que pertence o atleta. É proibido o uso de calça de outra cor que não seja branca e bem assim o uso de cintos, bolsos, fivelas etc.;
b) o capoeirista vestirá camisa branca de malha, tendo estampado no peito o escudo de sua entidade;
c) nas competições individuais e por equipes, o atleta deve participar das lutas sem o cordão de classificação.
 
Características dos cordões de classificação 


O cordão de classificação é confeccionado com o fio de seda chamado rabo de rato ou similar.
O seu preparo consta de um trançado de nove fios, ou seja, três grupos de três fios. Faltando 10cm. Para as extremidades do cordão, serão dadas três laçadas.
Como acabamento e amarração, será dado um nó em cada fio.
O cordão será colocado na calça do capoeirista, transpondo as passadeiras, de maneira que seja dado o nó no lado direito da cintura e que fiquem pendentes as duas pontas do cordão.